Ana Carolina Fernandes

Seja fotografando um surfista numa onda da Prainha ou um Black Block incendiando um ônibus, Ana Carolina Fernandes se mantém sempre fiel ao seu estilo.

A diversidade é a marca registrada da fotógrafa, que trabalhou por 25 anos nos principais jornais do país, como O Globo, Jornal do Brasil, Folha de São Paulo e Estadão. Como fotojornalista, ganhou dois prêmios Folha, em 2000 e 2002, e foi citada pela revista “Times” como uma das mais influentes fotógrafas brasileiras.

Em 2008, decidiu se libertar do imediatismo das redações e se aprofundar em pautas específicas como freelancer, além de se dedicar a projetos autorais.

Suas fotos das manifestações de rua de 2013, rodaram o mundo, impressas nas capas de revistas e jornais internacionais, como o New York Times. Essas imagens têm um tom crítico, as vezes irônico, que lembra os textos escritos durante a ditadura militar por seu tio, o jornalista Millôr Fernandes.

Entre seus projetos autorais está “Azul da Cor do Mar” sobre a Prainha e “Mem de Sá, 100” sobre um casarão da Lapa habitado por travestis.

Como uma cronista, Ana Carolina circula pelo Rio de Janeiro captando cenas que traduzam o espírito da cidade. “Gosto de flanar como uma turista na minha própria cidade ou como uma estrangeira em qualquer lugar”.